Infraestrutura

 Infraestrutura

A infraestrutura da FURG para estudos relacionados à oceanografia é singular no país, destacando-se as disponibilidades do Navio Oceanográfico “Atlântico Sul”, a Estação de Apoio Antártico (ESANTAR), a Estação Marinha de Aqüicultura (EMA) e da estrutura dos 25 laboratórios do Instituto de Oceanografia.

O Navio de Pesquisa Atlântico Sul, incorporado ao patrimônio da Universidade Federal do Rio Grande – FURG em 1978, é uma plataforma de pesquisa para o desenvolvimento de atividades nas áreas de monitoramento do ambiente marinho nos aspectos físicos, químicos, biológicos e geológicos, na prospecção e nos estudos de dinâmica de populações de organismos pelágicos e demersais. Possui autonomia de 25 dias/mar com capacidade de amostrar com coletores especialmente desenvolvidos para pesquisa ou de tamanhos comerciais entre 10 e 1500 metros de profundidade. Pode também realizar mapeamentos do fundo oceânico até 2.000 metros de profundidade.

Por ser um dos únicos navios pertencentes à uma Instituição de Ensino Superior – IES Federal, atuou e vem atuando em todo o litoral brasileiro em vários projetos como REVIZZE, PRONEX. Mais recentemente, o N/Pq Atlântico Sul está envolvido em projetos de prospecção dos recursos pesqueiros de sardinha e anchoita no litoral Sul-Sudeste brasileiro, do projeto "Avaliação da Distribuição e Abundância dos Cetáceos no Talude e Plataforma Externa do Sudeste-Sul do Brasil", e no projeto "A Experiência Embarcada", financiado pelo MPA, que vem complementando o ensino prático embarcado dos alunos de Oceanografia de Universidades Federais e Privadas do Brasil.

Laboratórios

Os laboratórios que compõe a base do PPGO estão hoje, depois da reestruturação da Universidade, contidos nos vários núcleos do Instituto de Oceanografia (IO-FURG). Os seguintes núcleos contém os laboratórios ligados ao programa: Núcleo de Oceanografia Física, Núcleo de Oceanografia Química, Núcleo de Oceanografia Geológica, Núcleo de Oceanografia Biológica. Além disso, há forte interação com o Núcleo de Gerenciamento Costeiro e Núcleo de Recursos Renováveis (Pesca). 

Laboratório de Estudos dos Oceanos e Clima (LEOC): o LEOC encontra-se no prédio do Centro de Estudos dos Oceanos e Clima (CEOCEAN), vinculado ao Instituto de Oceanografia da FURG. O CEOCEAN ainda sedia do Grupo de Oceanografia de Altas Latitudes (GOAL – www.goal.furg.br), o Grupo de Estudos do Oceano Austral e Gelo Marinho vinculado ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Criosfera (INCT da Criosfera), a Rede Brasileira de Pesquisa em Acidificação dos Oceanos (BrOA – www.broa.furg.br), e o Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SiMCosta - www.simcosta.furg.br). As pesquisas desenvolvidas no LEOC estão focadas nos estudos da circulação dos oceanos e seu papel no clima, através do uso de dados observacionais, modelagem numérica e sensoriamento remoto. As áreas de atuação principais desenvolvidas no LEOC são: Oceanografia Física, Biogeoquímica Marinha, Oceanografia Antártica e de Altas Latitudes, Circulação oceânica de meso e grande escalas, Vórtices Oceânicos, Energética de Correntes de Contorno Oeste, Estrutura e Movimento de Massas de Água, Validação de Modelos e Reanálises Oceânicas, Sensoriamento Remoto, Bio-ótica Marinha, Biogeoquímica do Sistema Carbonato, Carbono Antropogênico e Acidificação dos Oceanos, Fluxos de CO2 na interface oceano-atmosfera. As atividades de ensino concentram-se na orientação de alunos de graduação e pós-graduação, principalmente dos cursos de graduação em Oceanologia e Física, e pós-graduação em Oceanologia e Oceanografia Biológica. Devido a inter- e multidisciplinaridade das atividades desenvolvidas no LEOC, alunos de outros cursos podem também atuar no laboratório.

Laboratório de Análise Numérica e Sistemas Dinâmicos (LANSD)é um laboratório do IMEF - FURG que desenvolve pesquisas associadas a processos hidrodinâmicos, morfodinâmicos e de condições do estado do mar. Também são desenvolvidas pesquisas relacionadas ao transporte de propriedades contaminantes e não contaminantes na água do mar, além do estudo de energias renováveis de fontes marinhas e do desenvolvimento de modelos numéricos aplicados a Engenharia e a Oceanografia (www.lansd.furg.br).

Laboratório de Oceanografia Costeira e Estuarina (LOCOSTE): O LOCOSTE tem por objetivo o estudo dos processos dinâmicos das águas de áreas estuarinas e de plataforma continental e a forma como esses processos afetam outras áreas da ciência oceanográfica. Esses estudos abrangem, principalmente, o sistema lagunar Patos Mirim e a plataforma continental do Atlântico Sul-Sudoeste, entre Cabo Frio e a plataforma norte da Argentina. Para o desenvolvimento desses trabalhos, são utilizados: (a) dados coletados no mar a partir de cruzeiros e de fundeios de equipamentos; (b) aplicação de modelos numéricos. Além da importância científica, vários trabalhos apresentam um enfoque aplicado, sobretudo, em questões ambientais e no desenvolvimento sustentável de atividades portuárias. O LOCOSTE possui intenso intercâmbio com laboratórios em outras instituições nacionais e internacionais, participando do: South Atlantic Climate Change Consortium (SACC) patrocinado pelo Instituto Inter-americano de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais (IAI); do Programa de Ecologia de Longa Duração (PELD); do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Mar (INCT-Mar COI) e do módulo Zonas Costeiras do INCT-MC e da Rede Clima. Além disso, está no LOCOSTE a coordenação de duas redes nacionais de pesquisas financiadas pela FINEP. São elas: a Rede de Estudos Hidrodinâmicos, Ecológicos e de Monitoramento de Qualidade Ambiental em Sistemas Aquáticos – REHMANSA e; Gestão e Segurança da Navegação e do Transporte Aquaviário: Desenvolvimento Ambientalmente Sustentável de Sistemas Marítimos Fluviais – TRANSAQUA.

Laboratório de Ecologia do Ictioplâncton (LEI): O laboratório iniciou suas atividades no final dos anos 70 e é utilizado para atividades de pesquisa e ensino. As atividades de pesquisa estão voltadas a elucidação de aspectos da ecologia de ovos e larvas de peixes no estuário da Lagoa dos Patos, na região costeira adjacente e no Atlântico Sul. O LEI tem uma área física de 42 m2, e os principais equipamentos instalados são microscópios estereoscópicos, sistema de Análise de Imagens. O LEI opera diversas redes de amostragem de plâncton.

Laboratório de Hidroquímica: O Laboratório de Hidroquímica atua na investigação da composição química e da qualidade ambiental das águas estuarinas, costeiras, oceânicas, subterrâneas e efluentes. As avaliações se baseiam nos níveis de elementos inorgânicos (nutrientes, elementos traço e seus isótopos), além da especiação química. São desenvolvidos estudos de processos biogeoquímicos, intercâmbio de elementos químicos entre a interface água-sedimento e transporte de água subterrânea continental para a região oceânica.

Laboratório de Microcontaminantes Orgânicos e Ecotoxicologia Aquática (CONECO): Laboratório equipado para o estudo de microcontaminantes orgânicos (hidrocarbonetos, praguicidas clorados, PCBs, compostos polibromados, esteroides fecais e biocidas anti-incrustantes (TBT, Irgarol, Diuron,etc.) em matrizes ambientais. Alguns dos efeitos ambientais destes contaminantes são avaliados por meio de ensaios de toxicidade (ecotoxicologia).

Laboratório de Cianobactérias e Ficotoxinas (LCF): Trata-se de um laboratório destinado ao cultivo e manutenção de cepas de cianobactérias e de algas marinhas nocivas, bem como da realização de experimentos de fisiologia vegetal, produção, determinação e testes toxicológicos com cianotoxinas e ficotoxinas.  Além disto, através de coletas ambientais atua na caracterização de florações de cianobactérias e estudos específicos de cianobactérias, cianotoxinas e ficotoxinas voltados à biotecnologia, ecotoxicologia, saúde animal e ambiental. O laboratório também é voltado ao monitoramento ambiental oceânico, costeiro, lagunar, em fazendas de cultivos marinhos e em mananciais. Foi criado em 1986 e destina-se a propiciar o espaço para o desenvolvimento de Projetos de Pesquisas para os programas de Pós-Graduação do Instituto de Oceanografia (www.cianobacterias.furg.br).

Laboratório de Geoquímica (LOG): O laboratório de Geoquímica é uma unidade do Laboratório de Oceanografia Geológica do Instituto de Oceanografia que possui uma área laboratorial de 300 m2. O Laboratório de Geoquímica dá suporte às atividades de pesquisa e consultoria nas diferentes áreas da geoquímica orgânica e inorgânica, como nos estudos ambientais de poluição, geoquímica e especiação de metais pesados; qualidade dos sedimentos; poluição orgânica;  Petróleo e degradação de compostos orgânicos; biomarcadores moleculares; geoquímica marinha e dos sistemas aquáticos; evolução paleo-ambiental; geoquímica da atmosfera e poluição; Qualidade ambiental e saúde das populações; monitoramento ambiental em ambientes marinhos, costeiro e continental (águas, sedimentos, solos e biota); dragagens e geoquímica ambiental.

Laboratório de Morfodinâmica CosteiraO Laboratório de Morfodinâmica Costeira é voltado para os estudos da zona costeira de transição e seus estuários, zonas de arrebentação e praias adjacentes. Abrangendo aspectos relativos às modificações morfodinâmicas  da praia,  ante-praia, plataforma continental interna corpos d´água costeiros naturais e antrópicas em várias escalas temporais. Associado ao Laboratório de Morfodinâmica costeira está o Laboratório de Sedimentologia, o qual além de fornecer apoio a análise sedimentar e morfologia permite o desenvolvimento de projetos de pesquisa voltados a Recursos Minerais do Mar com enfoque em recursos minerais associados aos sedimentos marinhos. Atualmente desenvolve os projetos: 1) Riscos associados a processos geológicos, geomorfológicos e oceanográficos no Arquipélago de São Pedro e São Paulo, na Ilha da Trindade e no Arquipélago de Martim Vaz. (em conjunto com a Universidade Federal do Paraná);  2) Morfodinâmica de praias arenosas do RS; 3) Levantamento geológico e sísmico da plataforma continental interna do RS com ênfase nos depósitos econômicos granulados (siliciclásticos, bioclásticos e minerais pesados); 4) O limite morfodinâmico da antepraia e sua influência na resposta costeira à elevação do nível do mar.

Laboratório de Geologia e Paleontologia (LGP): O laboratório trabalha com análise estratigráfica dos depósitos quaternários da Planície Costeira do Rio Grande do Sul e os fósseis e icnofósseis encontrados na mesma. Análises tafonômicas, paleoecológicas e paleoclimáticas baseadas em fósseis e icnofósseis de vertebrados e invertebrados.

Laboratório de Paleoceanografia e Palinologia (LPP)O laboratório é sede de grupo de pesquisa que tem como principal foco o estudo da Margem Continental Sul-Brasileira durante o Quaternário tardio. Em sua porção offshoreproxies micropaleontológicos e geoquímicos são utilizados para investigar mudanças paleoceanográficas e paleoclimáticas. Na Planície Costeira, a palinologia ajuda a elucidar a influência e cronologia das transgressões e regressões marinhas sobre o continente.

Laboratório de Monitoramento da Criosfera (LaCrio)o LACRIO encontra-se no prédio do Centro de Estudos dos Oceanos e Clima (CEOCEAN), vinculado ao Instituto de Oceanografia da FURG. O laboratório  atua no desenvolvimento de métodos para o monitoramento das massas de gelo do planeta. O trabalho do laboratório é focado em duas frentes principais: (1) adaptação e desenvolvimento de novos instrumentos meteorológicos, glaciológicos e oceanográficos para levantamentos nas geleiras, gelo marinho e fiordes da Patagônia e da Antártica; e (2) uso de levantamentos com drones e imagens de diversos tipos de satélites para a obtenção de informações dinâmicas desses ambientes.

Bibliotecas

Com recursos de um projeto Financiado pelo PADCT, em 1992 foi criada a Biblioteca Setorial da Oceanografia, a qual possui atualmente um acervo de 1300 livros, teses e monografias. Adicionalmente possui 180 subscrições de periódicos científicos e informativos, nacionais e internacionais. A biblioteca encontra-se no Campus da Instituição em local privilegiado para discentes da pós-graduação. A biblioteca setorial possui ainda um sistema de consulta bibliográfica através de CD-ROM que permite acesso aos índices "Aquatic Sciences and Fisheries Abstracts" (ASFA) e "Life Sciences Abstracts". Adicionalmente, cada uma das três áreas do curso conta com pequenas bibliotecas/mapotecas e com a bibliografia particular dos pesquisadores (acessível aos alunos de graduação e pós-graduação). O Laboratório de Oceanografia Geológica, por exemplo, possui uma mapoteca com as principais cartas de navegação, batimétricas e sedimentológicas da Margem Continental Brasileira. A partir do final de 2005, a FURG passou a receber apoio para o Programa de Teses e Dissertações Eletrônicas (BDCT) com apoio de recursos do IBICT do MEC. Hoje, todos os computadores do curso, de docentes e alunos, estão conectados com as informações disponibilizadas pelos convênios da CAPES, principalmente pelo Science Direct.

Recursos de Informática

Recentemente, dentro do projeto de "Energia das Ondas" (EONDAS/Petrobras) e do REMO (Rede de Modelagem Oceânica / Petrobras) os Laboratórios LOCOSTE e DinaMO adquiriram 2 clusters de computadores de alta capacidade rodando em paralelo simulações numéricas do ambiente costeiro e oceânico. Ambos os projetos estão aportando somas de mais de R$ 1 milhão cada para o laboratório.

No setor de Geo-processamento e Informática do LOG foram adquiridos em 2007, mais 2 PC Pentium IV para totalizar os 14 computadores: 1.6 GHz agora disponíveis a pesquisadores e alunos. Também foi adquirida uma impressora laser.

Finalmente, em consonância com os tempos atuais, o parque de informática de todos os laboratórios ligados ao programa são renovados periodicamente (a cada 2-3 anos). Nos caso dos alunos de doutorado do programa estes recebem, e os de mestrado em sua grande maioria, dos laboratórios do programa um computador dedicado para os seu trabalhos.